O que são obrigações?

Uma obrigação é um produto financeiro que permite ao investidor emprestar dinheiro a uma entidade emissora. Em troca da posse de um título, os credores recebem juros, também chamados de taxa de cupão. É uma forma de empréstimo. O comprador de uma obrigação é, por definição, o credor, enquanto o emissor é o devedor. A emissão desse tipo de produto é uma maneira pela qual as entidades podem se financiar. O dinheiro que uma empresa recebe de obrigações emitidas é visto como um empréstimo. Em geral, ele deve ser reembolsado ao longo do tempo em uma data previamente acordada. Até essa data, o titular da obrigação (credor) recebe pagamentos de juros. As entidades emissoras podem ser empresas, cidades ou mesmo governos nacionais.

O que deve saber sobre as obrigações?

Existem três elementos principais de uma obrigação que são importantes para o seu entendimento: cupão, valor nominal e data de maturidade (vencimento).

Cupão:

O cupão (ou taxa de cupão) é a taxa de juros paga pelo emissor de um título. Por exemplo, uma obrigação de US $ 1.000 com um cupão anual de 5% pagará US $ 50 por ano. A palavra cupão se origina de uma época em que os títulos tinham um cupões em papel anexado a eles, que podia ser convertido para o pagamento.

Par (face) value:

O “par value” é o valor nominal de uma obrigação. Também é comumente referido como o valor nominal. Esse é o valor pago ao portador da obrigação quando a mesma vence. Se a taxa de juros subir mais que a taxa do cupão, o título será negociado abaixo do “par value”. Quando a taxa cair abaixo da taxa do cupão, será negociada no valor do prémio ou acima do “par value”.

Data de Maturidade:

Esta é a data acordada em que a obrigação deve ser reembolsada. As obrigações geralmente são vistas como produtos de baixo risco. Os pagamentos dos juros e as datas de vencimento são definidos antecipadamente, permitindo que se torne uma fonte de renda estável e previsível. As exceções acontecem quando a obrigação não é mantida até o vencimento ou quando a parte emissora declara falência.

Quem emite obrigações?

Embora existam várias entidades que podem emitir obrigações, existe uma distinção geral entre dois tipos de emissores:

  • Obrigações governamentais

    Os governos geralmente usam as obrigações para gerar dinheiro para financiar despesas como estradas, escolas, pontes ou outras infraestruturas. Para certos países, as despesas de uma guerra (imprevisível) também podem exigir a necessidade de arrecadar fundos. As obrigações geralmente têm vencimentos de dez anos ou mais e são consideradas investimentos de longo prazo.

  • Obrigações corporativas

    As obrigações corporativas são emitidas por empresas para ajudá-las a expandir seus negócios. Ao emiti-las, as empresas podem comprar imóveis e equipamentos e realizar projetos lucrativos. A renda extra também pode ser usada para pesquisa e desenvolvimento ou para contratação de funcionários. As empresas podem precisar de mais dinheiro do que o banco pode fornecer. As obrigações podem resolver esse problema, permitindo que muitos investidores individuais emprestem dinheiro. A dívida corporativa pode variar de extremamente segura á super arriscada.

Diferentes tipos de obrigações

Além dos vários emissores, existem diferentes tipos de obrigações, dependendo de suas características. Os quatro tipos mais comuns são

  • Perpetual bonds

    Essas obrigações não têm uma data de término fixa e têm o potencial de nunca serem reembolsados.

  • Convertible bonds

    Sob certas condições, podem ser convertidas em ações da empresa.

  • Floating rate note

    Essas obrigações possuem uma taxa de juros variável.

  • Subordinated bonds

    No caso de falência da entidade emissora, esses títulos são amortizados somente após o pagamento de todos os demais em circulação. Por essa razão, os riscos e retornos são relativamente altos.

Como comprar obrigações

A forma mais comum de comprar obrigações é através de uma corretora. As comissões para a compra variam dependendo da corretora. Como DEGIRO, pode comprar as obrigações governamentais e corporativas online e com uma grande variedade de bolsas. A taxa de transação depende do mercado da obrigação. Diferentemente de outros instrumentos financeiros, as obrigações não são cotadas em moeda, mas sim com uma percentagem do valor nominal. Isso facilita o cálculo da taxa de juros efetiva.

O que determina o preço de uma obrigação?

O preço a que as obrigações são compradas ou vendidas pode depender de vários fatores. Embora a taxa de cupão e o valor nominal sejam constantes, o seu valor ainda pode flutuar. Aqui estão os principais fatores que podem influenciar o preço de uma obrigação:

Condições de mercado: as obrigações são contra-cíclicas, o que pode influenciar o seu valor. Quando o mercado de ações está a subir, as obrigações são frequentemente menos interessantes para os investidores porque outros instrumentos financeiros, tais como ações, parecem mais rentáveis. Isto faz com que o valor de uma obrigação desça. Neste caso, os emitentes devem prometer pagamentos de juros mais elevados para manter a obrigação atrativa para os investidores

Políticas de taxas de juro: A maior parte das obrigações pagam uma taxa de cupão fixa que se torna mais aliciante se as taxas de juro diminuírem. Isto resulta numa maior procura que irá aumentar o preço da obrigação. Se por outro lado a taxa de juro aumentar, a taxa fixa do cupão paga pela obrigação será menos interessante para os investidores, resultando numa diminuição do seu preço. Por norma o valor das obrigações move-se na direção inversa da taxa de juro. Este conceito é simplificado na imagem em baixo:

aumento ou diminuição do impacto dos juros sobre títulos

Risco potencial: Quando os acionistas pensam que há um aumento de risco, o preço de uma obrigação pode baixar. À medida que o risco aumenta, os investidores querem um maior retorno.

Duração: obrigações com uma duração mais longa, por exemplo, dez anos, pagam mais do que aquelas com uma duração mais curta, como por exemplo um ano. A razão para isto é que os investidores estão a ser pagos para investir o seu dinheiro durante um período mais longo. As obrigações de longo prazo são suscetíveis de ter uma taxa de cupão mais elevada do que as de curto prazo. O tempo até ao vencimento também pode influenciar o valor de uma obrigação. Neste caso, quanto mais se aproxima da maturidade, mais o preço se aproxima do valor nominal.

Rating: as agências de rating (por exemplo, Moody's e Standard Poor's) atribuem ratings de crédito às obrigações. Estas são essencialmente baseadas na segurança da obrigação. À medida que a classificação de crédito diminui, é muito provável que o preço das obrigações também diminua, tornando-se menos atrativo para os investidores.

Os investidores que planeiam manter a obrigação até ao fim não precisam realmente de se preocupar com os movimentos de preços no mercado, uma vez que na maturidade da obrigação receberão todo o capital inicial investido (a não ser que haja um incumprimento do emitente). As movimentações dos preços, por outro lado, preocupam aqueles que pretendem vender as obrigações antes do seu vencimento.

As vantagens de obrigações

A vantagem mais aparente de uma obrigação é o facto de ser um investimento relativamente seguro. Se o mantiver até a data de vencimento, o valor nominal será retornado, a menos que a entidade seja inadimplente.

As obrigações podem ser rentáveis de duas maneiras. Primeiro, se a possuir até a data de vencimento, receberá o valor nominal. Antes dessa data, receberá pagamentos de juros (o cupão). Em segundo lugar, pode se beneficiar vendendo a sua obrigação a um preço mais alto do que o comprou.

Risco das obrigações

Investir pode ser gratificante, mas não é isento de riscos. Na DEGIRO, somos abertos e transparentes sobre os riscos que surgem com o investimento. Antes de começar a investir, há vários fatores a serem considerados. Ajuda se pensar sobre o nível de risco que deseja assumir e que tipo de produto é mais adequado para atingir seus objetivos. Mesmo que a data de vencimento de uma obrigação seja previamente definida, sempre há uma chance de a parte emissora poder adiar. É por isso que as obrigações são frequentemente recompensados com uma classificação de risco por agências independentes de classificação de crédito, como a “Moody's” e a “Standard & Poor's”.

As informações contidas neste artigo não foram escritas para fins de consultoria nem pretendem recomendar investimentos. Esteja ciente de que os factos podem ter sido alterados desde que o artigo foi originalmente escrito. Investir envolve riscos. Pode perder (uma parte) do seu depósito. Aconselhamos que invista apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu conhecimento e experiência.

backtotop

A sua viagem de investimentos começa aqui

Abra uma conta gratuitamente e junte-se a mais de 2,5 milhões de investidores na nossa plataforma de fácil utilização.

Nota:
O investimento envolve riscos. Pode perder (uma parte) do seu capital investido. Aconselhamo-lo a investir apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu conhecimento e experiência. Isto não é um conselho de investimento.

O investimento envolve riscos.

icon_close

Queremos capacitar as pessoas no sentido de se tornarem nos melhores investidores que possam ser. Ao oferecer um universo de possibilidades e escolhas na nossa plataforma de fácil utilização, estamos a remover barreiras para tornar o investimento acessível a todos: principiantes ou experientes. Na DEGIRO tem acesso a uma grande variedade de produtos em mais de 50 bolsas globais para ter a liberdade de investir da forma que desejar. No nosso mundo, também mantemos uma boa relação qualidade/preço. Assim, sem comprometermos a nossa qualidade, segurança e gama dos nossos serviços de investimento, oferecemos taxas baixas. Dar prioridade às suas necessidades fez com que nos tornássemos na principal corretora a nível europeu. Os nossos mais de 2,5 milhões de clientes e mais de 100 prémios internacionais são a prova do nosso sucesso.

A flatexDEGIRO Bank Dutch Branch, uma sucursal estrangeira do flatexDEGIRO Bank AG | Amstelplein 1, 1096HA Amesterdão | telefone: +351 308 804 692 | e-mail: clientes@degiro.pt | A flatexDEGIRO Bank Dutch Branch está registada na Câmara de Comércio Holandesa com o número 82510245. | A flatexDEGIRO Bank Dutch Branch, que actua sob o nome DEGIRO, é a sucursal holandesa do flatexDEGIRO Bank AG. O flatexDEGIRO Bank AG é supervisionado primariamente pelo regulador financeiro alemão (BaFin). Nos Países Baixos, a flatexDEGIRO Bank Dutch Branch está registada no DNB e é supervisionada pela AFM e pelo DNB. | O flatexDEGIRO Bank AG é um banco alemão licenciado, supervisionado pelo regulador financeiro alemão e registado na Câmara de Comércio Alemã sob o número HRB 105687.