O que são futuros?

Os futuros são contratos normalizados que, tal como as opções, são celebrados entre duas partes com um preço fixo e uma data de expiração. É um contrato para entrega de um produto subjacente num momento acordado no futuro e a um preço acordado, daí o nome. São um instrumento do tipo derivado porque o produto subjacente propriamente dito não é detido. Com efeito, este adquire o seu valor com base no preço de um ativo subjacente. Pode ser um índice, um instrumento financeiro ou uma mercadoria.

Como funcionam os futuros?

Um contrato de futuros é um contrato negociável relacionado com a compra (longa) ou venda (curta) de um ativo subjacente. A entrega ocorre no futuro, numa data e a um preço acordados. Os compradores e os vendedores têm expectativas opostas da forma como o valor do subjacente se irá materializar. Um comprador obtém um lucro bruto quando se verifica um aumento do valor do subjacente no fecho, e um prejuízo bruto caso se tenha verificado uma descida do valor do subjacente. Além disso, se assumir uma posição longa ao negociar contratos de futuros, então considera que o preço do subjacente irá aumentar. Como acontece com muitos outros instrumentos derivados, têm uma dimensão de contrato, em que cada futuro tem um número fixo do produto subjacente como valor subjacente.

Como é que os futuros são liquidados?

O pagamento de um contrato de futuros é realizado no final do período acordado. Pode ser efetuado mediante entrega física ou por liquidação em numerário. Os futuros sobre índices, como os futuros do FTSE, são normalmente liquidados em numerário. Com a entrega física, os bens especificados são efetivamente entregues. No entanto, isto não acontece muitas vezes, já que normalmente são vendidos antes de expirarem. Um dos principais motivos para investir neste tipo de produto financeiro é obter lucros ao aproveitar as diferenças de preço dos títulos subjacentes. Por este motivo, a liquidação em numerário é mais comum do que a entrega física. Não há fluxo monetário com a compra e venda. O preço acordado apenas deve ser pago na entrega. Porém, um corretor de bolsa exige um pagamento inicial devido ao grande compromisso que foi assumido.

Digamos que acredita que um índice de bolsa irá subir. Está nos 600 pontos, e considera um contrato de futuros com uma dimensão de contrato de 200. O valor deste contrato de futuros será de 120.000 €. Ao negociar futuros, normalmente não paga este valor integral no momento da compra, mas sim uma margem inicial para entrar no contrato. Digamos que há uma taxa de margem de 15%. Iria obter uma exposição de 120.000 € ao subjacente através de um depósito mínimo de 18.000 € como margem da sua conta. Isto significa que pode obter uma grande exposição por uma pequena margem inicial com um contrato de futuros. Se o índice descer e a sua margem se tornar inferior a 15%, receberá um pedido de reforço de margem, que lhe pedirá que a aumente para um valor superior ao limiar de 15%.

Ao contrário das opções, os futuros são liquidados diariamente. Isto significa que, se o futuro tiver ganho 3 pontos no final da sessão de bolsa, irá ganhar 3 vezes o multiplicador de 200 €, num montante de 600 €. Tenha em atenção que, uma vez que a dimensão do contrato é maior do que a margem, também é possível perder mais do que o seu depósito com os futuros.

Futuros e cobertura

Os futuros são um instrumento derivado comum utilizado para cobrir o risco. As empresas e os investidores utilizam-no para neutralizar o risco na medida do possível. E isto consegue-se ao remover a incerteza do preço futuro de um item ou um produto financeiro. Pode utilizar coberturas curtas e longas. Com uma cobertura curta, entra-se numa posição curta no contrato. São normalmente iniciados por operadores que possuem um ativo e estão preocupados com uma queda nos preços antes do final das vendas. Por outro lado, uma cobertura longa ocorre quando se entra numa posição longa. Por exemplo, se uma empresa souber que precisa de comprar um item específico numa data futura, e o preço à vista for superior ao preço futuro, pode bloquear o preço mais baixo. Desta forma, remove a incerteza do preço futuro de um produto.

Encargos e margem associados à negociação de futuros

A DEGIRO cobra comissões de ligação, encargos de transação e encargos de liquidação pela negociação de futuros. Pode consultar estes encargos na descrição geral dos encargos. Apenas paga os encargos de liquidação na liquidação final após a expiração, e não antes.

Como foi referido, um corretor exige uma garantia para o compromisso que foi assumido. Este valor reservado é designado por margem inicial. Dado o risco elevado, pode tratar-se de um valor consideravelmente elevado. A DEGIRO criou um modelo de risco que é utilizado para determinar o valor da garantia necessária. Se o preço do ativo subjacente divergir daquilo que esperava, em muitos casos poderá cumprir a sua obrigação com este valor reservado.

explicação de como calcular o valor de um contrato futuro e quanta margem deve possuir

Como posso investir em futuros com a DEGIRO?

Na DEGIRO, pode negociar em futuros em várias bolsas de derivados afiliadas. Devido ao seu risco relativamente elevado e à sua complexidade, não são adequados aos investidores sem experiência. Por conseguinte, não poderá negociar diretamente derivados com uma conta DEGIRO. Precisará de uma conta Active ou Trader, que incluem testes de adequação e termos e condições complementares.

A negociação de derivados, como os futuros, pode ser muito rentável, mas implica um risco substancial. A grande vantagem é a possibilidade de lucrar com o efeito de alavancagem, que lhe permite obter um elevado rendimento sobre o seu investimento. Porém, há a desvantagem de poder perder mais dinheiro do que investiu inicialmente. Os futuros são produtos financeiros complexos. Na DEGIRO, somos sinceros e transparentes no que diz respeito aos riscos associados ao investimento. Não tem de pagar nada para abrir uma posição no futuro. Mas tem de celebrar uma obrigação com um contrato de futuros. A DEGIRO não realiza a liquidação de contratos entregues fisicamente. Informamos os clientes sobre uma posição cuja expiração se está a aproximar e pedimos o fecho atempado da posição. Se isso não acontecer, a DEGIRO fecha a posição em nome do investidor para impedir, por exemplo, que este tenha de comprar uma série de barris de petróleo. Por este motivo, pedimos uma garantia. Nalgumas situações excecionais, as perdas sofridas por um investidor podem ser mais elevadas do que esta garantia. Se não tiver uma garantia suficiente de acordo com o nosso modelo de risco, poderemos pedir-lhe que faça um depósito ou que reduza o seu risco. Se não resolver o défice atempadamente ou se o seu risco se tornar demasiado elevado de acordo com o modelo, a DEGIRO poderá intervir. Recomendamos que apenas celebre obrigações que possa cumprir com dinheiro que não lhe faça falta a curto prazo.

As informações neste artigo não foram escritas para fins de consultoria, nem têm a intenção de recomendar quaisquer investimentos. Tenha em mente que os factos podem ter mudado desde que o artigo foi originalmente escrito. Investir envolve riscos. Pode perder o seu depósito ou uma parte do mesmo. Aconselhamos que invista apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu conhecimento e experiência.

backtotop

Note:Investir envolve riscos. Você pode perder (uma parte do) seu depósito. Aconselhamos que invista apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu nível de conhecimento e experiência.

Note:
Investir envolve riscos. Você pode perder (uma parte do) seu depósito. Aconselhamos que invista apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu nível de conhecimento e experiência.