O que são ETF alavancados e inversos?

Na DEGIRO, acreditamos que é importante que invista com conhecimentos e/ou experiência suficientes. Além disso, queremos garantir que poderá investir em instrumentos financeiros adequados às suas necessidades e objetivos. Este artigo explica o que são Fundos de Índices Cotados (ETF) alavancados e inversos e como os pode negociar.

Fundos de Índices Cotados Tradicionais

Normalmente, comprar um grande número de ações diferentes iria requerer um orçamento elevado e revelar-se um processo muito moroso. Porém, produtos como os ETF possibilitam uma diversificação de forma eficiente e económica. Por exemplo, um ETF do S&P 500 monitoriza as 500 ações incluídas neste índice. Assim, é possível deter uma seleção de vários produtos financeiros com uma única compra. Um ETF, também designado por fundo indexado, é um fundo de índices cotados. Trata-se de um produto que segue um índice, uma mercadoria, uma obrigação ou uma composição de produtos. Ao contrário do que acontece com alguns fundos, pode comprar ou vender ETF numa bolsa de valores. O desempenho de um ETF segue os movimentos de preço dos produtos subjacentes no fundo. Os ETF podem ser alavancados ou não-alavancados. Leia mais informações gerais sobre ETF aqui.

ETF alavancados versus não-alavancados

O desempenho de um ETF não-alavancado monitoriza o desemprenho do subjacente. Normalmente, esse subjacente é um índice. Por exemplo, quando o índice sobe 2%, é provável que o ETF também suba aproximadamente 2%. O preço de um ETF não é igual ao seu valor. Também é possível comprar um ETF alavancado. Se um ETF tiver alavancagem, significa que estará a pedir dinheiro emprestado à parte emitente para investir mais nos produtos subjacentes do que o valor que investe. Estes ETF alavancados podem ser relativamente complicados e têm enfoque nos resultados a curto prazo. De um modo geral, não são adequados como investimentos a longo prazo. Podem ter riscos e encargos muito elevados e são, por conseguinte, menos adequados a investidores iniciantes.

O que é ETF inverso?

Os ETF inversos são normalmente designados por ETF "curtos" ou "bear". O seu objetivo é devolver um resultado inverso ao resultado do subjacente que monitorizam. Por exemplo, se o valor do subjacente diminuir, o valor do ETF inverso aumenta, e vice-versa. Utilizam produtos financeiros, como derivados, para simular um resultado inverso em vez de assumirem uma posição curta no subjacente. Por este motivo, muitas vezes não estão correlacionados com o índice longo subjacente.

Não é necessário utilizar uma margem para adquirir um ETF inverso. De um modo geral, um ETF é um produto em numerário e os investidores têm de investir o valor total em numerário. Quando investe num ETF inverso, as perdas potenciais são limitadas, ao contrário de ter uma posição curta num ativo, que tem um potencial de perda ilimitado se o valor do ativo subjacente continuar a aumentar. A perda potencial com um ETF inverso (ou "curto") é limitada ao montante investido no fundo.

O que é um ETF alavancado?

Regra geral, um ETF tradicional tenta seguir um índice subjacente numa base de um-para-um. Por sua vez, um ETF alavancado devolve um múltiplo dos ganhos ou das perdas do subjacente. É concebido para ampliar o desempenho do subjacente, que normalmente é um índice. Por exemplo, pode tentar duplicar ou até triplicar o desempenho do subjacente. Para alcançar este rácio, um ETF alavancado pode utilizar derivados financeiros e dívida. Este efeito de ampliação funciona para os dois lados. Com um ganho de 1%, um ETF alavancado alcança um ganho de 2% ou até 3%, em função do rácio. Inversamente, esta relação também se aplica a uma perda de 1%. Com um ETF alavancado, esta perda passa a 2% ou até 3%. Tratam-se, portanto, de produtos de elevado risco.

É provável que, se possuir o ETF alavancado durante mais de um dia, o resultado seja um rendimento diferente de um múltiplo exato dos rendimentos do subjacente. Isto acontece devido ao compounding effect. Além disso, os encargos integrados dos ETF também podem ter um impacto sobre o rendimento.

O que é um ETF inverso alavancado?

Também é possível combinar estes dois tipos de ETF, criando assim um ETF inverso alavancado. Este tipo de ETF, que também é designado por ETF "ultra-curto", é concebido para ampliar o inverso do desempenho de um índice. Tal como acontece com os ETF inversos, utilizam produtos financeiros, como derivados, para imitar um resultado inverso em vez de assumir uma posição curta no subjacente, com a adição de um efeito de alavancagem.

Quais são os custos de investir em ETF alavancados ou inversos?

Além das comissões cobradas pelo seu corretor, o emitente do ETF também poderá cobrar comissões de entrada, saída e/ou contínuos. Estes encargos são integrados no produto e serão anotados no Documento de Informação Fundamental ou Documento de Informação Fundamental Destinado aos Investidores (DIF). Em muitos cassos, os encargos integrados dos ETF alavancados e inversos podem ser superiores aos dos outros ETF.

Qual é o risco de investir em ETF?

Os ETF inversos e/ou alavancados podem fazer parte de algumas estratégias de investimento de utilização comum, mas tenha em atenção que estes tipos de ETF alavancados podem ter um risco elevado e normalmente não são adequados a investidores inexperientes. Recomendamos que leia integralmente o DIF para se certificar de que compreende o produto no qual está a investir. O DIF faculta aos investidores as informações essenciais sobre o ETF, como os encargos e os riscos envolvidos e os objetivos do investimento. Não declara quais serão os lucros (ou prejuízos) que pode esperar do investimento.

O DIF faculta informações essenciais sobre o ETF específico, incluindo o perfil de risco e rendimento.

O investimento em ETF pode ser vantajoso, mas não é isento de riscos. Na DEGIRO, somos sinceros e transparentes sobre os riscos associados ao investimento. Normalmente, os ETF não são geridos ativamente. O risco é o de não ser possível antecipar mudanças como aquisições de empresas ou uma alteração na composição do índice.

Embora os ETF sejam compostos por um conjunto de produtos e normalmente sejam diversificados por natureza, a escolha do momento dos investimentos também pode ter um impacto substancial nos seus rendimentos. Em vez de investir um único valor de uma só vez e, desta forma, expor-se aos encargos dos seus títulos num único momento, pode optar por investir gradualmente durante um período prolongado. Ao investir pequenos valores, digamos mensal ou trimestralmente, ficará menos exposto ao preço pago no momento do investimento, sendo assim criada uma média para o investimento ao longo de um período maior. Este método é conhecido como custo médio ponderado. Leia mais sobre diversificação neste artigo.

Antes de começar a investir, há vários fatores importantes que deve considerar. É útil determinar qual é o risco que está disposto a assumir e quais são os produtos mais adequados ao seu caso. Além disso, recomendamos que não invista dinheiro que lhe possa fazer falta a curto prazo, e que não entre em posições que lhe possam provocar dificuldades financeiras.

As informações neste artigo não foram escritas para fins de consultoria, nem têm a intenção de recomendar quaisquer investimentos. Investir envolve riscos. Pode perder o seu depósito ou uma parte do mesmo. Aconselhamos que invista apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu conhecimento e experiência.

backtotop

Note:Investir envolve riscos. Você pode perder (uma parte do) seu depósito. Aconselhamos que invista apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu nível de conhecimento e experiência.

Note:
Investir envolve riscos. Você pode perder (uma parte do) seu depósito. Aconselhamos que invista apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu nível de conhecimento e experiência.