O que são juros compostos e como funcionam?

Albert Einstein descreveu os juros compostos como “a oitava maravilha do mundo”, mas o que são exatamente? Juros compostos são os juros que recebe sobre o valor principal, incluindo os juros acumulados de períodos anteriores de um depósito ou empréstimo. Simplificando, são os juros ganhos sobre o dinheiro que já foi ganho como juros ou os “juros sobre juros”. Em contraste, os juros simples são pagos apenas sobre o valor do principal e não sobre quaisquer juros acumulados. Na prática, os juros compostos são mais comuns em comparação aos juros simples.

Fatores que influenciam os juros compostos

  • Frequência: a frequência de composição, ou o número de vezes por ano que os pagamentos de juros são distribuídos, afeta os juros compostos. Os juros são geralmente compostos numa base anual, semestral, trimestral ou mensal, mas também podem ser compostos diariamente ou até mesmo continuamente. Em geral, quanto mais períodos de capitalização houver, maior será o valor futuro do seu dinheiro.
  • Taxa de juros: as taxas de juros podem ter um efeito considerável. Taxas de juros mais altas contribuirão mais para um investimento do que uma taxa mais baixa.
  • Tempo: os juros compostos têm um impacto maior sobre os investimentos com um prazo mais longo do que com um prazo menor.

Como calcular juros compostos

Se está a tentar descobrir como calcular os juros compostos, é relativamente fácil de o fazer com a fórmula dos juros compostos. Os juros compostos são calculados usando a seguinte fórmula:

A=P(1+ r/n)nt

Na fórmula, 'A' é o valor futuro, 'P' é o principal, 'r' é a taxa de juros, 'n' é o número de períodos compostos e 't' é o tempo em anos.

Por exemplo, digamos que depositou 1.000€ numa conta poupança no banco e deixou lá por 20 anos. O seu banco paga uma taxa de juros de 5% e os juros são compostos anualmente. Sem fazer mais nada, em 20 anos, terá 2.653,30€.

Os juros compostos em investimentos funcionam de maneira semelhante. Digamos que investe 1.000€ num ETF que, hipoteticamente, tem um retorno anual de 9%. Após o primeiro ano, o seu investimento aumentaria para 1.090€. Embora um ganho de 90€ não pareça muito, o tempo no mercado pode aumentar significativamente o seu investimento. Após 30 anos, esse mesmo investimento aumentaria para 13.267,68€. Este é um aumento de 12.267,68€ em relação ao seu investimento inicial de 1.000€.

A regra de 72

A regra dos 72 é uma forma rápida de estimar o tempo que leva para dobrar um investimento. Além disso, é um atalho para descobrir o impacto aproximado dos juros compostos. A regra da fórmula 72 é:

72/r=Y

Onde ‘r’ é a taxa de juros anual composta e ‘Y’ é o número de anos que levará para dobrar o seu investimento. Pegando na taxa de juros de 5% acima e usando a fórmula da regra dos 72, seria capaz de dobrar o seu dinheiro em 14,4 anos. É importante ter em mente que a regra dos 72 é apenas uma estimativa. Nesse caso, a quantidade real de anos que levaria para dobrar o seu dinheiro se os juros fossem compostos anualmente seria de 14,21 anos. Embora haja uma pequena discrepância nesses números, a regra de 72 pode ser usada para uma estimativa fácil.

Pros e contras dos juros compostos

O efeito que os juros compostos podem ter pode impactar positivamente ou acarretar custos, dependendo das circunstâncias. Pode receber os benefícios dos juros compostos no cenário em que você é o investidor, no qual um investimento pode crescer exponencialmente ao longo do tempo.

Por outro lado, quando você é o devedor, os juros compostos podem ser caros. Esse é o caso mais comum com cartões de crédito. Algumas empresas de cartão de crédito cobram juros pelo empréstimo e pelo valor dos juros acumulados. Portanto, pode acabar a dever à sua administradora de cartão de crédito muito mais do que inicialmente pediu emprestado.

Riscos envolvidos

Na DEGIRO, somos abertos e transparentes sobre os riscos que vêm com o investimento. Antes de começar a investir, há uma série de fatores a serem considerados. Isso ajuda a pensar sobre quanto risco está disposto a correr e quais produtos correspondem ao seu conhecimento. Além disso, não é aconselhável investir com dinheiro de que possa necessitar no curto prazo ou assumir posições que possam causar dificuldades financeiras. Tudo começa ao pensar sobre que tipo de investidor deseja ser. Pode ler mais sobre os riscos de investir na nossa página Documentos de Serviços de Investimento ou na nossa página dedicada a risco.

As informações neste artigo não foram escritas para fins de consultoria, nem têm a intenção de recomendar quaisquer investimentos. Investir envolve riscos. Pode perder o (parte do) seu depósito. Aconselhamos a investir apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu conhecimento e experiência.

backtotop

Note: Investir envolve riscos. Você pode perder (uma parte do) seu depósito. Aconselhamos que invista apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu nível de conhecimento e experiência.

Note:
Investir envolve riscos. Você pode perder (uma parte do) seu depósito. Aconselhamos que invista apenas em produtos financeiros que correspondam ao seu nível de conhecimento e experiência.